UE prevê tornar-se o maior exportador de lácteos do mundo na próxima década

A produção mundial de leite deverá registar um crescimento moderado durante a próxima década, segundo o último relatório de previsões a médio prazo da União Europeia. Este aumento será impulsionado pelos contínuos aumentos no consumo de produtos lácteos.

Contudo, os menores rendimentos e o crescimento demográfico fazem prever e a procura mundial cresça a um ritmo mais lento, de 1,8% por ano (equivalente a 16 milhões de toneladas anuais).

O crescimento da produção na UE deverá ser de 1,3 milhões de toneladas por ano (1,4%) durante os próximos 10 anos. O aumento do consumo interno, em particular para o queijo, absorverá parte deste crescimento, ainda que a maior parte desta quantidade adicional seja dirijida aos mercados de exportação. Como tal, prevê-se que a UE se converta no maior exportador mundial de produtos lácteos em 2026, à frente da Nova Zelândia.

Os preços deverão continuar limitados no curto prazo, porém, estima-se que os preços aumentem acima dos 32€/100kg na segunda parte do período de projeção, ou seja, 2021-2026. Apesar do aumento dos preços do leite tardar em chegar, a Comissão Europeia estima que a rentabilidade das explorações se mantenha estável graças ao menor custos de rações.

Fonte: Agrodigital.

0 visualização0 comentário

©2021 - Root. All Rights Reserved. Designed & Developed by Broono

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn