Supermercados do Reino Unido obrigados a racionamento de legumes frescos

Alface, bróculos, abobrinha, beringela e courgette são os principais legumes afetados pelo racionamento.

Alguns supermercados no Reino estão a racionar a quantidade de legumes que os consumidores podem comprar, justificando a ação com a fraca colheita registada este ano nos países do Sul da Europa.

O mau tempo e as geadas que afetaram a zona mais meridional da Espanha provocou uma redução das colheitas de verduras e hortaliças. Espanha normalmente fornece metade do mercado europeu deste tipo de alimentos durante os meses de inverno, à frente da Itália, Grécia ou Turquia.

O resultado imediato do tempo pouco favorável foi uma queda nas exportações para países europeus, especialmente o Reino Unido, onde várias cadeias de supermercados foram forçadas a limitar a venda de legumes por pessoa ou até mesmo a eliminar certos produtos das suas lojas online devido a esta escassez de suprimentos.

Preço da alface iceberg triplicou em poucos meses

Particularmente marcante está a ser a falta da variedade de alface iceberg. A Tesco, o principal distribuidor de alimentos do país, impôs um racionamento da venda deste produto em alguns dos seus centros. “Devido aos contínuos problemas de clima em Espanha, há uma escassez de stock de alface e somos forçados a limitar as suas compras a três peças por pessoa”, dizem os cartazes instalados em determinadas lojas londrinas da cadeia. Outra das empresas do “Big Four” da distribuição britânica, a Morrisons, seguiu a mesma política de racionamento de legumes. Assim, preparou cartazes que aconselham os clientes a comprar apenas duas alfaces por pessoa e brócolos para três.

No caso da Sainsbury’s, os clientes queixaram-se no Twitter que o preço da alface iceberg triplicou, subindo de 40 pence para 1,40 libras (46 cêntimos de euro para 1,63 euros), em poucos meses, enquanto que a Asda, filial da Walmart no Reino Unido, teve de pedir desculpas pela falta de courgette e beringela na sua oferta. Dada a escassez de suprimentos de frutas e vegetais provenientes da Espanha, muitos comerciantes do Reino Unido estão a ser forçados a importar vegetais dos Estados Unidos e do Egito, o que está também a encarecer os preços.

Fonte: CNBC/Grande Consumo.

0 visualização0 comentário

©2021 - Root. All Rights Reserved. Designed & Developed by Broono

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn