Industriais denunciam rotulagem fraudulenta nos frangos

O Presidente da Associação Nacional que representa a indústria das aves (ANCAVE), Avelino Gaspar, alertou para a presença de produtos com rotulagem fraudulenta, apelando às autoridades sanitárias para que estejam muito atentas à rotulagem.

O Presidente explica que é preciso que as autoridades “estejam muito atentas, para que os nossos consumidores não sejam enganados, pensando que estão a consumir um produto português ou europeu e, afinal, estão a consumir um produto de países terceiros, em que não foram respeitadas as regras de bem-estar animal e de alimentação definidas pela União Europeia”.

O responsável da ANCAVE (Associação Nacional dos Centros de Abate de Aves e Indústrias Transformadoras de Carne de Aves) considerou que se trata de uma concorrência desleal e afirmou que existem à venda em Portugal produtos mal rotulados, indicando que a origem é nacional ou europeia, quando, de facto, não é.

“São produtos que vêm da Ucrânia, por exemplo, que produz 59 quilos de carne por metro quadrado, em desrespeito total pelo bem-estar animal, mas também de grandes países produtores, como os Estados Unidos, Brasil ou Tailândia”, afirma o Presidente da ANCAVE.

Avelino Gaspar explicou que a carne entra na Europa normalmente por via marítima – sendo a rotulagem fiscalizada nesta altura – mas é posteriormente distribuída por ‘traders’ pelos diferentes países europeus, num percurso que não é totalmente acompanhado. No entanto, não é fácil para o consumidor reconhecer a diferença.

Portugal tem, atualmente, o maior consumo per capita de frango da Europa (29 quilos anuais, contra uma média europeia de 23 quilos) e a indústria nacional já é excedentária neste tipo de produto, exportando cerca de 10% do que produz.

No que diz respeito ao produto em fresco, os frangos nacionais são consumidos em Espanha, França, Luxemburgo, Suíça e Reino Unido, enquanto o produto congelado chega ao mundo inteiro. Lamenta apenas que, por enquanto, não se consiga chegar aos mercados asiáticos, exceto no caso do Japão.

Avelino Gaspar garante que o setor é competitivo e está bem capitalizado, apesar dos desafios da concorrência externa e de dificuldades internas, como os prazos de licenciamento das explorações.

Fonte: Agroinfo.

#Avicultura #Mercado #Rotulagem

0 visualização0 comentário

©2023 - Root. All Rights Reserved. Designed & Developed by Broono

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn