FAO apela ao investimento na inovação agrícola para combater fome e pobreza

Promover a agricultura sustentável requer um novo foco na inovação e investimento em investigação, tecnologia e desenvolvimento de capacidade produtiva, afirmou o Diretor Geral da FAO, José Graziano da Silva, na reunião de ministros da Agricultura do G-20 que está a decorrer.

“A tecnologia da informação e comunicação contribui para o crescimento dos cultivos, gestão do campo e da colheita e para o uso de novas técnicas”, sublinhou o Diretor Geral da FAO, acrescentando também que esta se tornou numa ferramenta essencial para melhorar as condições de vida e bem estar das populações, ao mesmo tempo que se avança na justiça social e na igualdade no acesso a oportunidades para todos, particularmente em zonas rurais.

As telecomunicações e a tecnologia móvel oferecem a possibilidade de dotar de acesso à internet milhões de pessoas e conectar os agricultores com a agricultura digital. Aqui incluem-se o uso de telemóveis para informar sobre surtos de doenças animais, iniciativa que a FAO apoiou nos últimos anos.

Entre essas formas inovadoras de usar a tecnologia, Graziano da Silva destacou uma nova aliança com a Google, onde a informação gerada pelos satélites e o seu poder do processamento abrem uma nova era no conhecimento do ambiente envolvente.

Cooperação para espalhar Informação

A cooperação é parte de uma estratégia digital mais ampla que a FAO está a desenvolver para integrar uma ampla gama de tecnologias, que vai desde dados de satélite a telefones móveis, passando por plataformas sociais, com o trabalho da agência para apoiar os mais vulneráveis com acesso à informação e aprendizagem desde a base. “Devemos ter em conta que os pequenos agricultores de países em desenvolvimento têm frequentemente um acesso restrito a matérias primas, tecnologia e mercados. Para assegurar que os agricultores aproveitam as oportunidades da tecnologia de informação e a comunicação, é essencial proporcionar um acesso feito à medida, impulsionar o desenvolvimento de capacidades e facilitar o intercâmbio de experiências”, afirmou.

Num comunicado emitido no final da reunião, os ministros subscreveram a importância das TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) na agricultura, que qualificaram como “essencial para o desenvolvimento humano, social e económico”, reforçando “o potencial para chegar aos agricultores – incluindo os pequenos camponeses e a agricultura familiar – com conteúdos oportunos e acessíveis sobre os mercados, práticas agrícolas sustentáveis e eficientes e as novas tecnologias”.

Graziano da Silva destacou o trabalho conjunto entre a FAO e os países do G20 em projetos como o Sistema de Informação do Mercado Agrícola, a Plataforma de Agricultura Tropical (TAP) e a Plataforma Técnica do G20 sobre a medição e a redução das perdas e o desperdício de alimentos.

O Presidente daquela organização destacou também os esforços internacionais que se estão a levar a cabo para abordar a Resistência Antimicrobiana, em parceria com a Organização Mundial de Saúde e a Organização de Saúde Animal, e instou os países do G20 a apoiar a FAO neste trabalho.

Fonte: Agrodigital.

0 visualização0 comentário

©2023 - Root. All Rights Reserved. Designed & Developed by Broono

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn