Como se alteraram as importações de azeite dos EUA nos últimos 20 anos?

Nos últimos 20 anos, as importações de azeite nos EUA aumentaram, passando de uma representação de 30% do total das importações mundiais em 1995/96, para 38% em 2015/16, porém, outras alterações significativas também se registaram.

Há duas décadas atrás, os EUA importavam maioritariamente azeite refinado, embalado e proveniente de Itália, sendo que, o mercado Norte-Americano valoriza maioritariamente o azeite virgem ou virgem extra, a granel e proveniente de Espanha, de acordo com um estudo realizado pelo COI.

Em 1995/96, os EUA importavam 84% do azeite em embalagens até 18 kg, dos quais 66,5% era procedente de Itália, sendo 24% da categoria azeite virgem (150910), 42% da categoria azeite refinado (150990) e 0,5% de óleo de bagaço de azeite (151000). Espanha detinha 9% da quota de mercado das embalagens até 18 kg, seguido pela Grécia e Turquia.

Na campanha 2015/16, o volume total importado foi de 331.368 t (+6%), e a tendência para importar azeite a granel continua a aumentar relativamente ao engarrafado. A maioria pertence à categoria azeite virgem ou virgem extra (150910), que representam 68% do total. Durante esta última campanha, Espanha lidera o mercado americano tanto em volumes totais como em embalagens a granel.

O azeite a granel tem vindo a ganhar terreno ao engarrafado. Enquanto que o mercado dos engarrafados é liderado pela Itália, o mercado do azeite a granel é dominado por Espanha.

Durante a última campanha, 42,4% do azeite importado pelos Estados Unidos chegava em formato a granel, dos quais 26,3% era proveniente de Espanha, seguido da Tunísia com 5,9%, Marrocos com 3,1%, Argentina com 2%, Itália com 1,7%, e o Chile com 1,4%.

Ler aqui.

0 visualização0 comentário

©2021 - Root. All Rights Reserved. Designed & Developed by Broono

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn