top of page

Como se alteraram as importações de azeite dos EUA nos últimos 20 anos?

Nos últimos 20 anos, as importações de azeite nos EUA aumentaram, passando de uma representação de 30% do total das importações mundiais em 1995/96, para 38% em 2015/16, porém, outras alterações significativas também se registaram.

Há duas décadas atrás, os EUA importavam maioritariamente azeite refinado, embalado e proveniente de Itália, sendo que, o mercado Norte-Americano valoriza maioritariamente o azeite virgem ou virgem extra, a granel e proveniente de Espanha, de acordo com um estudo realizado pelo COI.

Em 1995/96, os EUA importavam 84% do azeite em embalagens até 18 kg, dos quais 66,5% era procedente de Itália, sendo 24% da categoria azeite virgem (150910), 42% da categoria azeite refinado (150990) e 0,5% de óleo de bagaço de azeite (151000). Espanha detinha 9% da quota de mercado das embalagens até 18 kg, seguido pela Grécia e Turquia.

Na campanha 2015/16, o volume total importado foi de 331.368 t (+6%), e a tendência para importar azeite a granel continua a aumentar relativamente ao engarrafado. A maioria pertence à categoria azeite virgem ou virgem extra (150910), que representam 68% do total. Durante esta última campanha, Espanha lidera o mercado americano tanto em volumes totais como em embalagens a granel.

O azeite a granel tem vindo a ganhar terreno ao engarrafado. Enquanto que o mercado dos engarrafados é liderado pela Itália, o mercado do azeite a granel é dominado por Espanha.

Durante a última campanha, 42,4% do azeite importado pelos Estados Unidos chegava em formato a granel, dos quais 26,3% era proveniente de Espanha, seguido da Tunísia com 5,9%, Marrocos com 3,1%, Argentina com 2%, Itália com 1,7%, e o Chile com 1,4%.

Ler aqui.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page