AGRICULTURA 2030 – Impacto do Modo de Produção Biológico

Atualizado: 28 de set. de 2021

O professor Mário Carvalho, catedrático da Universidade de Évora, e Nuno Marques, agricultor e autor da obra “Herdade da Parreira, Sustentabilidade Económica e Ambiental” analisaram o impacto da conversão de 25% da área agrícola da actual União Europeia para Modo de Produção Biológico até 2030, conforme proposto pela Comissão Europeia na ‘Estratégia do Prado ao Prato’. Conheça as conclusões.


Que impacto económico e ambiental com 25% da área agrícola da EU-27 em Modo de Produção Biológico?


Em 2030 a União Europeia pretende que 25% da superfície agrícola esteja em agricultura biológica, o que corresponde a 39,2 milhões de hectares, ou seja, um incremento de 26,7 milhões de hectares face a 2019.


Com 27 Estados-membros, a superfície agrícola da União Europeia é de 156,7 milhões de hectares. Em 2019 cerca de 8% dessa área foi ocupada com agricultura biológica, ou seja, cerca de 12,5 milhões de hectares. Em Portugal, a área de agricultura biológica representa 6% da superfície agrícola.


Ao analisarem a conversão de 25% da área agrícola da UE-27 para Modo de Produção Biológico até 2030, proposto pela Comissão Europeia na ‘Estratégia do Prado ao Prato’, os autores chegaram às seguintes conclusões:

  1. Estima-se uma redução global da produção agrícola da EU-27 de 56,13 milhões de toneladas;

  2. Para Portugal resultará num aumento significativo das importações e, consequentemente, da pegada de carbono dos alimentos;

  3. Deslocalização da produção para países terceiros, resultando provavelmente na redução da segurança alimentar da EU-27;

  4. Globalmente poderá haver um aumento dos preços dos produtos agrícolas.


Este artigo será publicado na próxima edição da Revista do Agricultor (n.º 272/2021).


Artigo por CAP


#AgriculturaBiológica #PradoaoPrato #UniãoEuropeia


14 visualizações0 comentário

©2021 - Root. All Rights Reserved. Designed & Developed by Broono

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn